Pesquisas sobre Reiki, que antes era um conhecimento reservado às universidades orientais, ganham espaço entre pesquisadores americanos, europeus e brasileiros.

Com o intuito de compreender e provar as alterações biológicas do Reiki o psicobiólogo Ricardo Monezi fez um estudo científico em camundongos com câncer.

“O animal não tem elaboração psicológica, fé, crenças e empatia pelo tratador. A partir da experimentação com eles, procuramos isolar o efeito placebo”, diz Ricardo.

Para a sua pesquisa na USP Ricardo escolheu a terapia Reiki pelo fato desta terapia não ter conotação religiosa como as demais técnicas que trabalham com imposição de mãos.
Os resultados da pesquisa mostraram que, nos animais que receberam Reiki, os glóbulos brancos e as células imunológicas dobraram sua capacidade de reconhecer e destruir as células cancerígenas, em relação aos animais que não receberam Reiki.

Em sua tese de doutorado, pesquisa realizada no Departamento de Psicobiologia da Universidade Federal de São Paulo – Escola Paulista de Medicina, em 2013, Ricardo Monezi pesquisou os efeitos da prática do Reiki sobre aspectos psicofisiológicos e de qualidade de vida de idosos com sintomas de estresse: estudo placebo e randomizado. Comprovando também os efeitos benéficos da terapia Reiki em seres humanos.

O reconhecimento pela OMS e as pesquisas científicas respaldam o Reiki como uma terapia integrativa cientificamente comprovada!

Compartilhe: